“Toda a minha vida eu fiz o que os homens mandavam. Não posso mais aceitar isso”. A fala é da sufragista Maud Watts, interpretada por Carey Mulligan em As Sufragistas, longa de 2015 dirigido pela britânica Sarah Gavron.

O texto, porém, poderia estar na boca de uma série de outras atrizes que levaram para as telonas mulheres que lutam por sua independência, não apenas política, como retratado no filme de Gavron, mas sexual e social.

Pensando nessas personagens empoderadas, nós selecionamos cinco filmes protagonizados por mulheres independentes, fortes e cheias de contradições como protagonistas. É para se inspirar mesmo.

1. As Sufragistas (2015)

O filme de Sarah Gavron se passa nos anos 1920, no Reino Unido. Apesar de uma série de manifestações, as mulheres ainda não tinham direito ao voto. Surge, assim, o movimento sufragista, cujo principal objetivo era possibilitar a votação feminina. Para isso, as militantes recorrem à ações mais enérgicas, como quebrar vidraças e explodir caixas de correio, por exemplo.

O longa acompanha a luta e as histórias particulares de uma série de mulheres. Entre elas, Maud Watts (Carey Mulligan), uma das trabalhadoras de uma lavanderia de Londres. O elenco conta, ainda, com Meryl Streep.

2. Thelma & Louise (1991)

Clássico dos anos 1990, o filme de Ridley Scott traz Susan Sarandon como Louise Sawyer, uma garçonete, e Geena Davis como Thelma, uma jovem dona de casa. Cansadas da vida que levam, as duas caem na estrada para uma viagem. O percurso, porém, acaba tomando outro rumo, quando a dupla se envolve em um assassinato e passa a fugir da polícia.

Temas como liberdade feminina e abuso sexual são abordados na trama. Thelma & Louise foi premiado como melhor roteiro no Oscar e no Globo de Ouro de 1992. E, fique de olho: Brad Pitt vive um jovem cowboy nesse filme, um dos seus primeiros papéis.

3. Livre (2015)

O longa rendeu uma indicação à Reese Witherspoon ao Oscar de melhor atriz, em 2015. Inspirado nas memórias da escritora americana Cheryl Strayed, Livre mostra uma mulher que parte em busca de autoconhecimento após a morte de sua mãe.

Para isso, ela enfrenta uma viagem de 1,8 mil quilômetros a pé pela Pacific Crest Trail, uma longa trilha pelo oeste dos Estados Unidos que une suas duas fronteiras, com o México, ao sul, e com o Canadá, ao norte. Enquanto caminha sozinha pela natureza, ela se recorda de suas infidelidades conjugais e de seu vício em heroína. A direção é de Jean-Marc Vallée.

4. Aquarius (2016)

Dirigido pelo pernambucano Kleber Mendonça Filho, o filme nacional tem Sonia Braga no papel de Clara. Ela é uma jornalista aposentada e mãe de três filhos que mora em um apartamento, em Recife. A trama narra sua luta contra a especulação imobiliária: uma construtora deseja derrubar o prédio em que vive há anos.

O filme foi indicado a concorrer ao César — prêmio francês equivalente ao Oscar — na categoria de melhor filme estrangeiro.

5. Vicky Cristina Barcelona (2008)

As atrizes Scarlett Johansson, Penélope Cruz e Rebecca Hall protagonizam este longa dirigido por Woody Allen. Na trama, duas amigas, uma bastante sensata e outra movida a emoções, passarão as férias de verão em Barcelona. Lá, elas conhecem um charmoso pintor (Javier Bardem) e acabam envolvidas em um caso de amor com ele e sua complicada ex-mulher.

O longa venceu a categoria de melhor filme no Globo de Ouro de 2009 e rendeu à Penélope Cruz, no mesmo ano, o Oscar de melhor atriz coadjuvante.

E você? Tem dicas de outros filmes protagonizados por mulheres independentes? Então conte para a gente nos comentários!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Insira seu nome