99 anos de Escola Waldorf: liberdade e autonomia para as crianças

252

Na Alemanha do início de 1919, em meio ao caos social e econômico que se seguiu à primeira guerra mundial, Emil Molt, diretor da fábrica de cigarros Waldorf-Astória, procurou Rudolf Steiner, o fundador do movimento antroposófico. Molt pediu-lhe que o ajudasse a formar uma escola para os filhos dos trabalhadores da fábrica, e assumisse sua organização pedagógica. Seis meses mais tarde, em 7 de setembro de 1919, abriram-se as portas da Escola Waldorf, com 12 professores e 256 alunos.

Criada para o povo, a Escola Waldorf foi revolucionária desde sua criação. Nela não havia notas nem repetição de ano. Também não se separava meninos e meninas, o que era comum naquela época. Enquanto o materialismo era a base dos conceitos naquele tempo, assim como é até hoje, Steiner propôs uma educação baseada numa visão espiritualista e na liberdade e autonomia. As escolas Waldorf foram perseguidas por todas as formas de ditadura e autoritarismo, tendo sido proibidas pelo nazismo e pelo comunismo.

Hoje, são milhares de escolas e jardins de infância, em mais de 80 países, nos cinco continentes. Essa capilaridade demonstra uma capacidade para adaptação às mais variadas culturas. Isso ocorre porque ela se baseia em um profundo conhecimento do ser humano, e procura oferecer o que a criança precisa em cada etapa do seu desenvolvimento, respeitando sempre sua maturidade. Todas as crianças, de todos os lugares, percebem e gostam disso. No Brasil, a primeira escola Waldorf foi fundada em 1956, e já superam duas centenas alunos.

As Escolas Waldorf, com exceção de alguns pequenos Jardins de Infância, são associações comunitárias sem fins lucrativos, criadas com este fim por grupos de pais e professores interessados. Não se trata de uma franquia comercial. O fato de pais e mães dedicarem seu tempo e energia ao esforço necessário para se criar e manter uma escola nova, é um parâmetro importante para avaliarmos o quanto a Pedagogia Waldorf vem se colocando como um caminho reconhecido e desejado para a educação por milhares de famílias em todo o mundo. Algumas destas escolas, no Brasil, foram construídas pelos pais, literalmente, em regime de mutirão. Há países onde já existem escolas Waldorf públicas, inclusive no Brasil.

Em visita a uma escola Waldorf, notei, durante um intervalo para o recreio, algumas crianças do primeiro ano brincando na sala de aula. Então perguntei a elas o que estavam fazendo. A resposta foi que estavam “brincando de escola”! Brincar de escola durante o recreio deve significar gostar da escola, não acha?

*Rubens Salles, coordenador do Instituto Ruth Salles e mestre em Educação, Arte e História da Cultura.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Insira seu nome